Você certamente já entrou em um box de CrossFit. Se não, possivelmente ficará impressionado com a diferença de uma academia tradicional.
“- Onde estão todos aqueles aparelhos”? (Que fazem praticamente tudo por nós? rsrs) Lembro de perguntar-me baixinho em minha primeira vez.
O tempo – e meus abnegados coaches – trataram de provar que a máquina mais incrível e complexa que usarei no esporte será o meu corpo! Claro que um box comprometido tem aparelhagem de ponta e tecnologia alinhadas aos treinos. Mas o que realmente importa para nós é o atleta.

Acessórios

Então, como a gente se equipa?

Para isso existem diversos acessórios que proporcionam proteção e aumentam a performance. Isso mesmo! Neste texto vamos nos ater aos fundamentais. Talvez uma luva (ou o grip certo) seja o que falta para a consistência do seu Pull Up ou Toes To Bar. (Reveja os movimentos aqui, em nosso dicionário do CrossFit).

Grips e LuvasSem brincadeira eu testei uns nove pares diferentes até encontrar o ideal. E, até hoje, dependendo do dia, dispenso ou uso um adesivo (mulher de fases). Conversar com os atletas mais experientes mostrou-me que cada um se adapta a um modelo. Ou seja: Pessoas diferentes, grips diferentes (desculpe o plágio).

Minha recomendação? Testar! E, se puder, ter ao menos um grip e uma luva na bolsa a tiracolo. Quando se trata de mãos vale investir para executar o movimento com segurança e, acima de tudo, NÃO abrir os calos. Aiiiii que dor!

 

PomadasAinda na seara do cuidado com “as patinhas” é importante aprender que, quanto mais hidratadas, menos elas abrem (Yupii!)

Empresas atentas e responsáveis ambientalmente já oferecem produtos específicos para este fim. São pomadas e cremes que, particularmente, eu não dispenso.

“Ou você tá achando que tomar banho de magnésio não tem seu preço?” Ele super resseca a pele, apesar de remover o suor na hora do WOD, né? Então, bora hidratar? (E, claro, remover os calinhos com o especialista adequado para isso).

MunhequeiraJá vi gente desdenhando e achando supérfluo antes mesmo de realizar uma série bolada de Over Head Squat. Fala aí? Sabe de nada, inocente!

Depois, “com a patinha quebrada”, o Sambalelê que se preze protege e firma bem os punhos com o acessório recomendado. São vários modelos: Tem de faixa de tecido, os feitos com elástico e os acoplados à luva. Este último é meu favorito! Ponto pro combo dois em um!

MeiasNão tem meu pé me dói, gente! Elas são lindas, divertidas, possuem leve compressão e, quem tem um par na bolsa (até porque nem todo dia o meião combina com o look), salva o WOD com subida de corda! Eu que o diga, depois da marca horrorosa que ganhei no calcanhar ao insistir no Rope Climb sem o meu par. Dá zero pra essa moça, pessoal! Juro que nunca mais.

Nano ou Metcon?Nessas horas que o cabra treme. Kkkk. Brincadeira! Tênis é artigo de luxo no nosso país, infelizmente. Mesmo sendo um acessório importantíssimo para a pratica segura de atividades físicas… Enfim, menos choro e mais realidade: Temos que comprar! Quando comecei, ia com meu tênis de corrida mesmo, que só me servia bem na hora da corrida. Perdi um subindo corda e o outro tomei birra por causa do salto.
Boa parte dos treinos é dedicada ao Levantamento de Peso Olímpico. Já sabemos que o contato inadequado com o chão compromete a estabilidade, a performance e, “Oh My God”, a nossa linda coluna. (Medooo!)

A Nike e a Reebok desenvolveram calçados específicos para o CrossFit. A Reebok tem a linha Nano e a Nike o Metcon. A escolha entre uma marca e outra é bem pessoal: Depende do seu conforto, formato de pé e objetivos no CrossFit. Os tênis de LPO são desenhados para que o contato da sola do pé com o chão seja o mais próximo do natural possível. As ponteiras são reforçadas e evitam furos constrangedores. Os materiais são os mais resistentes do mercado. Como o Kevlar, por exemplo, usado em artigos para motociclistas. A sola tem uma aderência bem superior aos calçados esportivos comuns. E versões anteriores podem custar bem menos que aqueles lançamentos de tênis de corrida. (Nada contra a corrida heim, galera? #Paz)

Dica 1: Tem que experimentar! Já comprei pela Internet, os preço são mais atrativos, tive sorte, mas há quem tenha se arrependido.

Dica 2: Planeje sua compra e fique atento às promoções. Quem pode comprar fora do país leva vantagem, mas paga à vista. Quem não tem essa alternativa pode ativar as notificações de sites especializados no Brasil que, ao menos 3 vezes por ano, liquidam tudo.

Dica 3: Seja rico! Brincadeirinha… É bom ter ao menos dois pares. Um para as atividades completas (WODS com box jump, corrida, thruster, rope climb, etc.) e um para dedicação exclusiva ao LPO, que chamamos de sapatilhas ou botinhas.

Dica 4: Tenha uma bolsa. Sério: Você vai precisar para guardar todo esse material. Cuide bem dele e tenha certeza de que ele será necessário e vai te ajudar muito no rendimento dos treinos.

Te vejo equipado no box!

Raquel Capanema
Jornalista, apresentadora de TV e Crossfitter de paixão.
Comente pelo Facebook
Próximo postPor que competir?
Compartilhar