CrossFit tem dessas coisas, a gente conhece cada história, cada pessoa bacana… É uma felicidade!

Entrevistar a 3ª mulher mais condicionada do Brasil foi uma responsabilidade e uma delícia. Primeiro por que é um desafio colocar tudo (e em poucas palavras) sobre o caminho que a trouxe até aqui. Gostoso por que eu a conheci antes do título e posso dizer que trata-se de um ser humano cativante e ‘normal’ como nós. “Gente como a gente”, sabe?

Normal
Quem nunca se olhou no espelho e não gostou do que viu? A reprovação traz outros dissabores à mente.
Comigo foi assim. Olho…. Hesito.
Minutos depois me entrego: “- Não tem jeito. Nunca vou ter o corpo que quero!”
E desabo.
Para compensar a tristeza abro o Instagram e bisbilhoto fotos aleatórias.
Entre uma e outra lá está ela: A Sara Machado Queiroz!

Ultra 
Quem não conhece a Sara? Bom, se vc ainda não a conhece logo vai. Sara é ímpar. A “atleta-garota-propaganda da Ares” conquistou o título de 3ª mulher mais condicionada do BRASIL/2017 aos 39 anos, subiu em diversos pódios, com dois filhos pequenos, marido, trabalho e uma casa para cuidar… Ufa!
Paro e penso…. Claro que a Sara nasceu assim! Fácil quando se é perfeita, forte, bruta e abençoada geneticamente. Né?
Será?
Atrás da história 
Bom. Resolvi investigar!
Logo pensei em um álbum de família com um bebezinho rasgado, fazendo ring dip em 1980 e tomando mamadeira de whey. Sabe como é imaginação de jornalista, né?
Mas não.
A Sara compartilhou aquela foto básica de “antes e depois” que fez meu queixo cair. Jurei que era pegadinha.
Estava enganada!

 A minha esperança de um corpo mais bonito (e até, quem sabe, um muscle bar) reacendeu. Se você chegou até aqui também está se perguntando: “Ok. Acabei de começar a fazer CrossFit e tals, mas quero saber quando e como isso é possível?”

Senta então, colega! Foi justamente o que fui lhe perguntei!

Entrevista com “véia doida”*
Acho que é por aí: Ser meio doidinha! (rsrs) Brincadeiras à parte todos sabem que a Sara é alto astral. É a primeira a fazer piada e brincadeiras (algumas tão cômicas que lhe renderam o justo apelido). Mas a atleta também ganha o primeiro lugar quando o assunto é dedicação aos treinos. Ela sempre gostou de esportes. Mas depois do nascimento da segunda filha (tipo 15 dias depois) ela estava doida para voltar a praticar um esporte e limitada por causa da nova rotina. “Conversei com minha médica e achei que poderia ser interessante praticar uma atividade intensa mas que não me obrigasse a obedecer horários, rotinas e locais. Como o triathlon que eu praticava antes, por exemplo.”

Aí, veio o CrossFit. Por sugestão do marido Ricardo. Com o tempo a paixão ficou flagrante. “Ser constantemente desafiada me inspirou. Claro que em alguns dias eu estava cansada e desanimada. Mas ao chegar ao box eu percebia que o limite de hoje era superação de amanhã. Uma vez superado vinha outro e mais outros… A briga era comigo mesma. Isso me motivou. Isso faz a gente buscar sempre ser melhor. Em tudo! E a prática não rivalizava com as minhas outras tarefas.”

O tempo aliado à disciplina e à dieta cuidaram do resto. Além de um condicionamento impecável Sara ganhou um shape que vou te falar… Aí, que inveja! Brincadeira, Sarinha! Estamos na sua cola. Treinando e nos inspirando em você.

Alias o que você ainda está esperando que ainda não agendou 3 aulas experimentais?

Raquel Capanema
Jornalista, apresentadora de TV e Crossfitter de paixão.
Comente pelo Facebook
Compartilhar