A tal da pergunta que valeria uns bons milhões… Brincadeiras à parte, não é condenável dizer que “depende”. Porque depende mesmo! Quando vejo as blogueiras fitness mandando uma banana com chá de hibisco de pré-treino eu me contorço. Primeiro pois, infelizmente, não posso comer banana crua (Não pergunte o motivo. Passo mal e pronto). Em segundo, hibisco é uma delícia mas me brinda com uma azia danada. Sobra o que então? Oras, muita coisa!

E, se há salvação até para esta que lhe escreve, há pra você também!!! Eba!
A nossa nutricionista Gabriella Faria sabe que treino é coisa séria e pensou na maioria das alternativas:
Para quem treina “com as galinhas”, muito tarde, faz low carb, não faz dieta, só malha na hora do almoço… Enfim, se você não tem qualquer problema alimentar acho que você vai levar vantagem ao se guiar por aqui, viu?
Energia e força
Colega, é o que todo mundo quer, né? Pré-treino que se preza tem que dar um pump e não atrapalhar. Ou ficar ‘voltando’ (argh!) quando você tenta uma invertida sobre a cabeça, HSPU (pra quem consegue), etc. Pensamos em tudo isso! Para ter energia é bom apostar em alimentos e/ou suplementos que irão fornecer energia constante durante o treino e não gerar picos de insulina causando a hipoglicêmia de rebote. Os pré-treinos (aqueles pózinhos que nos deixam pilhados) também merecem atenção pois eles podem atrapalhar E MUITO o seu rendimento.
E quando o assunto é força não podem faltar os alimentos e ou suplementos que retardam a fadiga muscular baixando o pH sanguíneo. Agora vamos para “o tal do horário”.
Bonde da madrugada
Quem nunca quis se matar quando o despertador tocou antes de 5h30 (para aula de 6h) que atire a primeira pedra. Neste horário, muita gente acorda sem vontade de comer. Mas não dá para bater PR (personal record) com a barriga vazia depois de tantas horas em jejum. Por isso a Gabi sugere “shakes” (apesar de não gostar muito do nome já que parece componente de dietas das Globais. rsrs) contendo macronutrientes específicos para quem não consegue ingerir a quantidade de comida suficiente logo cedo ou para quem não tem um estômago tão sensível. Carboidratos de baixo índice glicêmico ou gorduras que darão energia para o treino sem pesar o estômago.
Almoço maromba
Quantas vezes já troquei aquela “boia bonita” por um shake de proteína com café pra não cochilar na aula de 13h? Deu certo pro meu projeto. Mas nem todo mundo tem essa “vocação light” para o meio dia. Então a Gabi tem uma receita muito prática: Faça do almoço seu pré ou pós-treino! Caso você use o horário do almoço para treinar coma no carro mesmo, seu “almoço pré-treino” ou use um lanche no lugar! Outra boa jogada é aproveitar o aporte de nutrientes do almoço para usá-lo como pós-treino! A questão é: O que fica mais fácil para você!? Escolha e se adeque.
Balada fit
A galera da noite sofre. Apesar das comidinhas serem mais tranquilas, muitos reclamam dos suplementos à base de cafeína neste horário. Elementar meus caros. O efeito não perdoa no pós-treino e afeta o sono do atleta. E, treino de quem não dorme, não rende. Muitas pessoas, que só têm o horário da noite para treinar, queixam-se de dificuldade para dormir depois, por causa da descarga de adrenalina. Por isso a Gabi recomenda infusão de ervas para induzir o corpo a produzir melatonina e, para os que torcem o nariz para chás, manipulados que produzem o mesmo efeito.
Para não deixar o sono tomar conta antes do treino noturno (sem o efeito perverso da cafeína) a Gabi tem outra dica: Fitoterápicos específicos e alimentos funcionais para o corpo ter energia mesmo sem cafeína! É possível. Acredite!
Saco vazio
É só falar que está jejuando que o alvoroço começa dentro do box. Exagero ou precaução? Para a Gabriella o jejum funciona sim (para certas pessoas). Mas tem que ser supervisionado pois a adesão a esta prática causa alguns efeitos colaterais no início, podendo persistir por mais dias.
Se o treino é mais pesado é melhor evitar treinar no momento do jejum. Usar a janela de alimentação para comer corretamente e treinar.
E quem não faz dieta?
Bom, deveria. Resultado não vem da fada do dente nem da “Santa do Halter”. Não adianta pedir. Procure um profissional e inspire-se nesta fala da Gabi “É impossível uma performance boa com uma alimentação ruim.”
A dieta é individualizada e específica para quem treina de madrugada, no meio da manhã, na hora do almoço, no meio da tarde ou à noite. Para quem tem tempo de comer em casa e para quem tem que comer no carro. Para quem é adepto as marmitinhas e para outros que vêem no suplemento uma alternativa prática e cômoda.
A alimentação de quem treina todo dia para competir é diferente de quem treina duas ou três vezes por semana.
Ou seja, a dieta do seu amigo não vale para você!
Resultados apareceram com a tríade: treino + disciplina + dieta! “Por isso ressalto: Façam dieta!” Conclui.
E aí? Tá esperando o que?
Os atendimentos da nutricionista Gabi estão a todo vapor! Agende na recepção da ARES.
Não perca essa oportunidade 🙂
Raquel Capanema
Jornalista, apresentadora de TV e Crossfitter de paixão.
Comente pelo Facebook
Compartilhar